Ϛ O silêncio, às vezes, nos traz significativas reflexões... ele nos permite avaliar as mais íntimas percepções, os mais secretos sentimentos... que, quando externados, mostram quem realmente somos... Talvez não seja preciso falar... Basta perceber, observar e sentir. ï

domingo, 20 de março de 2011

quinta-feira, 10 de março de 2011

Rush

Presa em ti eu sigo
Não há como escapar!
Ando poucos metros, tu me deténs
Ondas de calor me invadem toda
Uma mescla de sentimentos me atordoa:
Ódio, ansiedade, impotência
Tenho um alvo a cumprir
Mas, submissa, desisto de lutar contra ti
És mais forte, tens o poder de nos controlar
Olho ao meu redor... há barulho, inquietação
Prendes a todos, paras o tempo, fechas caminhos
Quem és tu?
Será o amor?
Será a paixão?
Não... nada se compara a ti, engarrafamento!



terça-feira, 8 de março de 2011

Achismos


 Incrível como não conhecemos as pessoas antes de rotulá-las. Somos a todo momento julgados pelo que aparentamos ser ou pelo que gostariam que fôssemos. Palavras mal interpretadas, ou não proferidas, gestos e até a personalidade podem afastar o outro de um modo absurdo... O não-dito se sobressai e os pré-julgamentos imperam...
Seria tão bom se nos déssemos uma chance. Uma chance de conhecer o outro antes de julgá-lo. Infelizmente não é isso que acontece e, geralmente, acabamos sendo injustos. Quantas vezes nos surpreendemos com atitudes afetivas de alguém que nunca pensamos ser capaz de tal ato? Quantas pessoas nos querem bem e, por não saberem demonstrar, são desprezadas ou simplesmente ignoradas?
Que cada um saiba ultrapassar a barreira dos achismos e descubra a verdadeira face das pessoas que nos cercam. O que importa se, ao agir assim, nos decepcionemos? Faz parte da vida... Pior é sofrer ou julgar por antecipação... “Basta a cada dia o seu mal”, não é mesmo?

segunda-feira, 7 de março de 2011

Carnaval...


         Difícil não fazer um pequeno comentário sobre o que vejo nesta época do ano. Carnaval... Muitos pediram para que eu me expressasse sobre isso, tentei evitar, por já prever os comentários, mas serei bem sincera.
Por mais que respeite opiniões alheias e entenda a questão “cultural” do evento, ainda não consegui gostar. Os anos passam e o que eu vejo é a multiplicação de um vazio, de uma falsidade. Claro... há quem diga que sem alegria o que faríamos em meio a esse caos que nos cerca diariamente... Porém, a questão não é apenas a alegria. Depende também do modo como cada um interpreta essa alegria. Precisamos refletir sobre o porquê de tudo isso. Do que as pessoas tentam se anestesiar?
Bebida alcoólica, promiscuidade, violência nada têm de cultural, pelo menos não para mim. É como se todos esperassem uma época para tirarem de si a face oculta. O “eu” que pode tudo se liberta e vemos valores irem para o ralo. Não, não sinto nenhuma necessidade dessa alegria. “Este ano só tivemos 500 ocorrências de violência no carnaval da Bahia até agora... 90 mortes nas estradas...”  ouvi no noticiário esta manhã. Só? Apesar de “baixo” em relação ao ano passado, esse número é bem significativo, não?
No fim, o que resta? Noites mal dormidas, insolação, pouco, ou nenhum, dinheiro, documentos, paciência, namorados(as) perdidos(as)... E o que se ganha? Felicidade? Qual? A momentânea, que faz esquecer a realidade por poucos segundos/dias?
 Não, obrigada.



domingo, 6 de março de 2011

Um sorriso

E eis que agora surges, riso eterno
O que era noite, agora é paz, é alegria
Antes monótono, corriqueiro estava o dia
Agora não há mais dor, não há inverno

Não te demoras a vir, oh riso ingrato
Tão tarde vieste a mim, tão cedo vais
Sem ti tudo é sem cor, sem vida e chato
Não quero que te ausentes nunca mais

Trouxeste sinceridade, oh riso amigo
Trouxeste mistério, enfim, trouxeste abrigo
Para esses dias sem luz, sem precisão

Do nada tu tens que ir, oh riso lindo
Mas saibas que tu serás sempre bem-vindo
No espaço vago deste coração...




sábado, 5 de março de 2011

Para minha irmã

Hoje é um dia muito especial: o aniversário da minha irmã. Dedico a ela este pequeno texto. Parabéns, Cida. Amo-te.


O verde dos teus olhos traz uma pureza ímpar
Mostra o que há dentro de ti:
Dedicação, amor, força, compaixão
Sorri para a vida como quem brinca
Ao mesmo tempo mostra em seus atos uma coragem absurda
Coragem de lutar pelos seus sonhos, coragem para prosseguir
És a prova de que é com simplicidade e carisma que se vence
És a prova de que a vida pode ser leve, alegre, divertida
És minha irmã, és meu exemplo, és muito importante para mim.

Feliz aniversário! 

PS: Esse olho é dela rsrsrs

Ausência



Por mais que tudo esteja bem
Sua presença nos segue muda, cautelosa
Vem relembrar-nos que ainda não estamos completos
Que ainda falta algo, que ainda estamos sós
Vem relembrar-nos que a estrada para a felicidade é longa
E os caminhos, desconhecidos, íngremes, incertos
Em meio aos risos involuntários e às felicidades cotidianas
Ela reina soberana, consolidada e forte
E espera momentos de descuido para se mostrar:
Num fechar de olhos, numa noite de Lua, numa música qualquer...
Vem confirmar-nos o que já sentíamos no coração...
A (há) ausência...
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget